5 grandes mitos sobre SEO

Growth-se ;0)

O fluxo gigante de informações na Internet leva ao surgimento de mitos e equívocos sobre várias áreas e temas. SEO – Search Engine Optimization – não escapa a essa realidade.

Os mitos que circulam em torno do SEO geralmente resultam da ignorância e do desejo de obter resultados rápidos. O perigo está no fato de que essa ignorância leva a que esses mitos sejam assumidos, na maioria das vezes, como verdade.

Todos os grandes mitos sobre o SEO acabam deixando vários profissionais e empresários confusos e sem ter certeza de qual caminho seguir. Dessa forma, a melhor recomendação que podemos dar é sempre questionar as informações e provar a veracidade dos fatos e fundamentos.

Neste artigo, compartilharei 5 principais mitos populares relacionados ao SEO:

Mito 1: Marketing de conteúdo é tudo para SEO

De certa forma, essa afirmação é verdadeira. A criação de conteúdo útil e relevante para o usuário pode ser uma fonte de benefícios para uma página da web. No entanto, outros elementos são necessários para os efeitos nas SERP – Páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa, se eles começarem a sentir.

É aqui que entram fatores como quantidade e qualidade dos links externos recebidos, trabalho de pesquisa de palavras-chave, otimização de imagens, usabilidade, design e velocidade de carregamento da página, entre outros. Todos esses conceitos devem andar de mãos dadas com a criação de conteúdo. uma vez que algumas não funcionam sem a outra e somente então os resultados a longo prazo serão visíveis.

Mito 2: A construção de links é irrelevante

Esse mito foi alimentado principalmente depois que John Mueller, analista de tendências para webmasters do Google, disse que o link building seria algo que ele “tentaria evitar”.

Naturalmente, essa afirmação foi mal interpretada. Os links continuam sendo um importante fator de classificação. No entanto, o que John Mueller queria transmitir é que o edifício da ligação deve ser algo natural, construído ao longo do tempo, garantindo ao Google um relacionamento com links de qualidade.

O foco não deve ser apenas o desenvolvimento de links, pois a estratégia pode ser menos produtiva. No entanto, também não deve ser esquecido. Os conceitos “construção de links” e “conteúdo” devem andar de mãos dadas, para que os links se refiram ao contexto do conteúdo e haja, juntos, uma abordagem equilibrada.

Mito 3: Pesquisa de palavras-chave não é essencial para SEO

Após o lançamento do Google Hummingbird (uma nova versão do algoritmo do Google implementada em 2013), surgiu o mito de que as palavras-chave não seriam mais importantes para a otimização dos mecanismos de pesquisa.

No entanto, isso nunca foi afirmado pelo Google. O foco principal desse novo algoritmo é aumentar o entendimento da semântica nas pesquisas.

Em outras palavras, tornou-se possível realizar análises de maneira mais ampla, melhorando o desempenho na interpretação de pesquisas nas quais uma linguagem natural e atual é usada.

O perigo dos mitos de SEO é que eles são vistos às vezes como verdadeiros para muitos profissionais de marketing. Nesse sentido, são fatores que não são mais trabalhados, levando ao desperdício de oportunidades reais de negócios.

Uma diminuição no tráfego, interações e conversões on-line são alguns aspectos que uma empresa pode sentir se não investir nesses fatores tão relevantes para o SEO.

Mito 4: A velocidade de carregamento não influencia o SEO

A possibilidade de o usuário sair de uma página com velocidade de carregamento entre 1 e 3 segundos é de 32%, enquanto que se a velocidade de carregamento da página for maior que 4 segundos, a probabilidade de abandono aumentará para 90% ( Think with Google 2018 ).

De fato, o Google valoriza sites rápidos e, como a empresa anunciou em março do ano passado, está se preparando para o lançamento do primeiro “índice móvel primeiro”. Assim, a velocidade de carregamento do site é um fator de SEO, pois o Google considera um fator de classificação.

É crucial que as empresas se concentrem em otimizar os mecanismos de pesquisa com base na melhor experiência do usuário, tanto nas versões para celular quanto para desktop. A maneira mais fácil de fazer isso é com uma auditoria de SEO e você precisa aprender como realizar uma auditoria técnica de SEO para o seu site.

Mito 5: o mapa do site está disponível

Sitemaps são arquivos que fornecem informações sobre páginas e outras partes de um site. Esses arquivos são lidos pelo Google para rastrear o site de maneira mais inteligente. Assim, quando o Google não consegue rastrear facilmente uma parte do site, é precisamente o mapa do site que permite encontrar melhor as páginas.

Isso justifica o fato de que é essencial incluir um mapa do site no site. Embora as páginas do site possam ser adequadamente vinculadas e, dessa maneira, os rastreadores da Web possam detectar a maior parte do site, o mapa do site sempre contribui para um rastreamento mais eficaz.

Isso é especialmente verdadeiro quando se trata de um site com um número alto de páginas, recente, com poucos links externos ou quando as páginas não estão adequadamente vinculadas uma à outra.

Gostou, ficou alguma dúvida, posso ajudar?

Growth Hacker e Marketing por você ;0) #growthhacker

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.