Segundo levantamento, modelo de startups tem evoluído no Brasil em 2022

Conhecida por ser um modelo de empresa inovadora, a startup é desenvolvida com base no uso da tecnologia, onde tem como seus principais objetivos, resolver os problemas de mercado, além de desenvolver ou aprimorar um modelo de negócio. Devido a isso, o modelo das startups tem garantido uma significativa crescente no Brasil.

Segundo o levantamento “A evolução das startups no setor de varejo”, organizado pela Liga Ventures e PwC Brasil, a maior parte das startups de varejo oferece soluções de comunicação e relacionamento com o cliente (são 10,2% delas) no Brasil. As outras seis categorias analisadas com maior representatividade no estudo são: criação/personalização de e-commerce (7,8%); gerenciamento de loja (6,7%); meios de pagamento (6,2%); análise de dados (5,6%); gestão de estoques (5,1%) e experiência do cliente (4,3%).

Essa crescente também pode estar relacionada ao marketing digital, isso porque com o passar do tempo e avanço da tecnologia, o marketing se tornou para a startup, uma grande colaboradora para execução de lançamentos e posicionamento do negócio, o marketing digital é uma forte ferramenta para startups, mas também em seu desenvolvimento e crescimento. Além de apresentar benefício por ser mais acessível ao bolso das empresas, o Marketing Digital tende a ser mais efetivo e mais mensurável.

“Este é um momento desafiador para muitas empresas. Por um lado, a interrupção da cadeia de suprimentos, a escassez de mão de obra, os aumentos dos preços das matérias-primas e da energia estão elevando os custos das empresas. Neste momento de dificuldade, executivos de todo o mundo acham mais urgente do que nunca aprimorar a estratégia de inovação de suas organizações para criar novos mercados para o crescimento, por isso a startup tem conquistado mais espaço, porque com auxílio do marketing, esse modelo tem se expandindo em todos os lugares, além disso, tem gerado bons lucros e isso tem tido um efeito positivo no bolso do empreendedor e na economia em geral”, disse Neto Angel, CEO da Agência Neto Angel Growth Hacker.

Ainda segundo o levantamento, também apontou que 15 startups foram adquiridas, com 13 empresas como compradoras, em 2021 e 2022. No total, foram 53 transações observadas, que movimentaram 1,47 bilhões. As redes sociais são uma grande aliada de empresas em geral e as startups não ficam de fora dessa.

Para alcançar esses resultados, as redes sociais tem sido o auxílio mais utilizado para alavancar este modelo de negócio, isso porque, através dela é possível aproximar a marca ao seu cliente, tendo em vista que, será possível interagir com o seu público, lançar novos produtos, fazer pesquisas, conseguir fãs, dentre uma série de ações que as plataformas permitem que, quando bem utilizadas, oferecem ótimos resultados.

“Um dos principais benefícios e princípios das redes sociais, é a capacidade de atender às novas demandas e desejos dos clientes. Os clientes querem mais acesso à informação do que nunca e a experiência digital que eles encontram é algo que pode ser o incentivo ou a prevenção deles usarem o seu negócio. Criar e estabelecer uma experiência digital agradável pode ser uma excelente maneira de personalizar o marketing e descobrir a quais partes de um processo digital um cliente responde bem e quais produtos e serviços podem atender melhor e da melhor maneira os clientes”, completou Neto.

Vale ressaltar que para realizar o estudo, foi utilizada a ferramenta Startup Scanner e analisadas 373 startups ativas desse setor. Do total avaliado, 69% têm como público outras empresas, ou seja, operam no B2B. Quanto à origem dos negócios, o estado de São Paulo aparece com maior expressão, 52%, seguido por Santa Catarina, 10%, e Rio de Janeiro, 8%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.